Insulina e Mel

Ela cheira a insulina e mel Ela estampa um sorriso Ela carrega esperança Ela pratica gratidão Ela canta na chuva Ela dança no sol Ela estende a mão Ela abraça o amor E nunca deixa de sonhar Daniela Annes Spera – Porto Alegre, 13 de maio de 2017 #diabetestipo1 #dm1 #soudm1 #docespedacosdemim #diariodavidadiabetica #insulinaemel  Anúncios

A tua ausência

A tua ausência dói Como um corte na pele Como carne viva A tua ausência dói Deixa tudo cinza Deixa tudo triste A tua ausência dói Fica tudo vazio Fica tudo sombrio A tua ausência dói Em mim falta um pedaço Falta o ar, falta o chão A tua ausência dói E sufoca meu coração … Mais A tua ausência

Cadeira Vazia

A tua cadeira está vazia A mão que sempre me apoiou não está O colo que sempre me acolheu não está A tua cadeira está vazia Não há a segurança Não há o aconchego A tua cadeira está vazia Não há música Não há palavra A tua cadeira está vazia É só dor e solidão … Mais Cadeira Vazia

Perda

O  mundo não mais me pertencia E era difícil aceitar Todas as paisagens não admiradas Todos os livros não lidos Todos os amores não experimentados Todas as músicas não ouvidas Todos os sabores não degustados Todos os filmes não assistidos Toda a existência me fora roubada Injustiçada, mirava com receio o desconhecido E o que … Mais Perda

Ela estava perdida em seus pensamentos. Tão perdida que não sabia em que confiar. Memórias próprias, memórias alheias. Segredos, confidências, mentiras. O que era verdade e o que fora ilusão. Crença e decepção. E a certeza de que era preciso continuar. Mesmo que em vão.

Estranho

Quanto mais te aproximas, menos te reconheço Não há nada em teu olhar que remeta ao brilho do passado Não há em tuas mãos o menor sinal do antigo vigor E na face envergonhada mal carregas um tímido sorriso O que teria te acontecido? Onde terias perdido o senso? Por que terias vendido a alma? … Mais Estranho

Teu nome está em todas as ruas Teus olhos, em todas as faces Tuas palavras invadem meus ouvidos Já nem sei mais onde estou Me fazes perder todos os sentidos   Buenos Aires, 18 de junho de 2012 (04h44m)

A Outra

  Tenho outra dentro de mim Mas eu não a deixo sair Ela fala e eu não quero ouvir Ela briga e eu tento resistir Ela grita enquanto eu finjo sorrir Quando ela chora eu tento fugir E seguimos assim nosso tormento sem fim

Republicando…

Como minha inspiração continua brincando de esconde-esconde comigo, resolvi revisitar meus textos e republicar algumas coisas das quais gosto muito. É o caso do texto abaixo, produzido em agosto de 2010. Meus sonhos foram todos roubados, ela pensou Vejam só onde eu queria estar e onde eu estou Onde foi que eu abandonei a sorte … Mais Republicando…

Meu corpo fala O que minha boca cala Estou por um triz Minha alma diz E para ser feliz Preciso de tua fala Suave em meu ouvido Para tudo fazer sentido